quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

A Corte de Etain



Em 'A Corte de Etain, uma história do século XIV de autoria desconhecida', o Lorde Midir, um ser sobrenatural, convida seu amor para visitar uma ilha utópica no Outro Mundo:




Um Convite Para o Paraíso


"Os cabelos são como prímulas em flor ali;
corpos lustrosos são da cor da neve.
Nesse lugar, não existe nem meu nem seu;
brilhantes são os dentes, escuras as sobrancelhas(...)
Inebriante a cerveja de Inis Fáil;
mais inebriante, sem dúvida, que a de Tír Már (...)
Fontes doces e cálidas por toda a terra,
hidromel e vinho à sua escolha.
Pessoas distintas, sem máculas,
concebidas sem pecado ou crime."





Do livro "O Livro Celta da Vida e da Morte" - Juliette Wood



quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Uma Taça de Vinho

Busto di Bacco - Michelangelo



 Trecho do texto introdutório do livro "Vinho - o Bom Companheiro" de Luciano Percucussi.


O vinho é aquela bebida da qual todos falam, mas poucos conhecem, e dela tiram as inúmeras vantagens que oferece e não somente o prazer de beber, como a grande maioria dos brasileiros imagina.
O vinho nos introduz no vasto e imensamente variado mundo da gastronomia, ao qual está estrita e diretamente ligado.



O vinho é cultura. Atrás de cada vinho há séculos de história, que é a mãe da cultura. Para conhecer um vinho é preciso, antes de mais nada, conhecer seu habitat, seu potencial, seu valor comercial e seu grau de aceitação. Isso é possível através dos livros ou in loco, o que pede obrigatoriamente deslocamento até determinada região. É assim que, perseguindo um vinho, estuda-se a história , adquire-se nova cultura ou se amplia a pouca que já temos. Além dessas riquezas que nos oferece, o vinho age sobre nosso físico de muitas e variadas maneiras, provocando efeitos benéficos que vão desde uma boa digestão até um estado de agradável e moderada euforia que nos deixa com espírito mais elevado, propenso a coisas boas com direito aos sonhos mais gostosos e com o cérebro m ais ativo para falar, escrever, amar, perdoar. O vinho, prém, deve ser tratado como diz Luigi Veronelli, "Como uma bela mulher," não abusando da quantidade, pois nestes casos, os efeitos invertem-se e ele provoca sérios males ao espírito e ao físico. É preciso saber beber. Beba sempre que tiver vontade, nas horas mais adequadas, mas beba pouco e bem. Qualidade, não quantidade: eis o grande segredo! Embora a qualidade seja mais cara, com o tempo se tornará mais barata, pois com certeza, como já disse, beneficiará o físico, evitando os estragos que a quantidade provocará e que, para remediá-los, será preciso gastar bem mais do que se economizou comprando mais barato.
...............................................................................................





"Bebê-lo para escutar o que ele diz..." - Veronelli


"Quando bebo, penso, quando penso, bebo." - Rabelais


"O doce beber que nunca me teria saciado." - Dante Alighieri


"O vinho é composto de humor líquido e luz." - Galileu Galilei



"Bebe água aquele que não tem vinho." - Jacopone da Todi



"Se Deus tivesse proibido o vinho, por que o teria feito tão gostoso?" - Richelieu



terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

PALAVRAS - OSHO








Milhares de pessoas foram queimadas pelos Cristãos. As pessoas que falam a respeito do amor, as pessoas que falam a respeito da paz, as pessoas que pensam que Jesus veio ao mundo para trazer a mensagem de amor, da irmandade, elas tem matado mais do que qualquer outro humano. E o sangue derramado era apenas uma questão de palavras. As palavras tornam-se muito importantes.

Isso acontece sempre com pessoas tolas: a realidade desaparece e as palavras tomam seu lugar. A palavra "Deus" se torna mais importante que a realidade de um Deus. A palavra "amor" se torna mais importante que o fenômeno do amor em si. Então, eles podem se matar uns aos outros por conta das palavras.
É inacreditável que durante milhares de anos, as pessoas tenham confiado tanto nas palavras, como se a palavra "fogo" fosse fogo, como se a palavra "água" fosse água! Quando você está com sede, a palavra "água" não irá ajudar em nada.


OSHO, em "Osho de A a Z" - Um Dicionário Espiritual do Aqui e Agora.




segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Frases Interessantes






Frases colhidas no livro "Cuidado com o que Você Pede em Suas Orações... Você Pode ser Atendido" , de autoria de Larry Dossey




"Se fosse assim tão simples! Se as pessoas más ficassem num só lugar, praticando insidiosamente más ações, para destruí-las bastaria separá-las do resto. Mas a linha que divide o bem do mal passa pelo coração de cada ser humano. E quem está disposto a destruir uma parte do próprio coração?"  -  Alexander Solzhenitsyn





"Deus é amor, mas pegue isso por escrito " -  Gypsy Rose Lee





"Se eu fosse reescrever a Bíblia, diria que a maior oração para Deus seria: "Querido Deus, estou bem. Não preciso de nada. Amém." E então Ele responderia... Mas nada vem a você quando você está desesperado, não é assim que funciona. Então, quem fica repetindo: "Preciso de uma chance, preciso de uma chance..." nunca vai conseguir."  -  Albert Brooks





"Boa parte da psiquiatria se preocupa com o efeito que o ódio tem sobre quem odeia. Mas pouca atenção é dedicada ao estudo dos efeitos sobre o objeto, especialmente quando o alvo não tem consciência de estar na mira... o Ódio pode destruir." - Olga e Ambrose Worral





"Se existe um jeito de chegar ao que é melhor, esse jeito é olhar de frente o pior." - Thomas Hood



domingo, 24 de fevereiro de 2013

Cuidado com o que Você Pede nas Suas Orações





Trecho do livro "Cuidado Com o que Você Pede nas Suas Orações - Você Pode Ser Atendido" - por Larry Dossey (autor do best-seller "As Palavras Curam)


Controlar os Outros em Nome do Amor

A doutora  Loudell F. Snow, do Departamento de Medicina da Comunidade, da Universidade do Estado de Michigan, estuda as crenças médicas populares e suas implicações na saúde. Ela é especialista em maldições, bruxarias e feitiços. Num artigo para o prestigiado Annals of International Medicine, ela relata: "Em quase todos os casos de bruxaria relatados na literatura e também no material que recolhi, o malfeitor é identificado, sendo geralmente uma namorada ou amante, marido ou mulher, pai ou mãe, irmão ou parente."

Assim como nas maldições formais, quando a prece é usada para manipular e controlar os outros, o objeto da manipulação é frequentemente um membro da família ou ente querido. Além disso, quem reza geralmente  alega estar agindo por compaixão, pelo bem da outra pessoa.
Um exemplo é a experiência de Richard, que desde a adolescência queria desesperadamente ser escritor. Era uma ambição realista, pois todos os professores elogiavam seu talento excepcional. Quando finalmente obteve seu Ph.D em literatura inglesa, Richard sentiu-se pronto para um brilhante futuro como escritor. Mas dez anos depois, não tinha publicado nenhum trabalho e se achava um fracasso. As editoras devolviam seus trabalhos com os comentários de sempre, falando de 'rasgos de brilhantismo' e de 'grande promessa', mas alguma coisa não batia, alguma coisa que ele não conseguia identificar. Richard não desistiu. Começou a frequentar encontros e seminários de escritores, na esperança de corrigir possíveis falhas técnicas. Mas nada funcionava. Perto dos quarenta, ele se consolava lembrando que muitos grandes escritores tinham começado tarde.
recusado por mais uma editora, ele resolveu por o trabalho de lado e visitar a mãe no Natal.
A mãe logo percebeu que ele não estava bem. "Você parece tão deprimido, meu filho. O que está acontecendo?"
Richard, que nunca tinha conversado com a mãe sobre sua crescente sensação de fracasso, decidiu compartilhar a frustração. A mãe ouviu pacientemente e disse: "Richard, sei por que não se tornou um escritor. Eu rezo a Deus todas as noites, desde que você era adolescente, para que Ele lhe dê outra coisa para fazer."

Richard ficou chocado! "Quer dizer que há vinte e cinco anos você reza para eu fracassar como escritor?"
"Sim, porque eu sempre soube que Deus tem coisa melhor para você. E ele atendeu minhas preces!" disse ela, com doçura.
"Por que fez isso, mãe?", perguntou Richard com raiva, entre lágrimas.

Sua mãe também começou a chorar. "Richard, eu amo você. Só quero o melhor para você." Depois, disse com frieza: "Escritores revelam coisas que não deveriam ser reveladas - sobre eles mesmos, sobre suas famílias. Escritores contam segredos que não interessam a ninguém!"
Richard viu no rosto da mãe uma vida inteira de dor, tristeza e medo. Enterrados no passado da família havia casos vergonhosos que ela não conseguia enfrentar: infidelidade e divórcio, alcoolismo e sentimentos de fracasso como esposa e mãe. Por mais de duas décadas ela tinha alimentado um horror pessoal: se Richard se tornasse um romancista de sucesso, os esqueletos da família viriam à tona em seus escritos, e a família cairia em desgraça.
Para Richard, as preces da mãe eram uma maldição lançada em nome do amor e da vontade de Deus. Não ficou para a ceia de Natal. Depois de ruminar durante um mês, resolveu começar a fazer psicoterapia numa tentativa de ordenar os sentimentos confusos que tinha em relação à mãe e ao relacionamento tempestuoso que sempre tiveram.
Richard sabia que a mãe continuaria a rezar "por" ele e estava determinado a não ser mais sabotado por suas preces. Pela primeira vezes em muitos anos ele começou a rezar, pedindo força e orientação para seu trabalho e proteção contra as preces da mãe. O trabalho de Richard adquiriu uma profundidade e uma maturidade que não tinha antes. Três anos depois desse confronto com a mãe, teve seu primeiro romance aceito por uma editora importante.




Agentes do Todo-Poderoso

Como no caso de Richard, a desculpa de rezar pelo bem do outro geralmente vem acompanhada da justificativa de fazer a 'vontade de Deus.' Nesse caso, a prece de intercessão muitas vezes se transforma em ação concreta. Um dos episódios mais terríveis da história humana, a Inquisição, que começou no século XIII, foi um dos mais pródigos em preces. O objetivo dos inquisidores era descobrir quem eram os hereges e puni-los,  com a esperança adicional de salvar suas almas. Enquanto apertavam os parafusos e giravam as rodas, os torturadores rezavam piedosamente, e suas lágrimas se misturavam ao sangue de suas vítimas no chão das câmaras de tortura de toda a Europa. Esse padrão persiste: piedade e prece ainda se misturam ao ato de matar em nome de Deus. Ao confessar que tinha assassinado Yitzah Rabin, primeiro ministro de Israel, Yigal Amir disse ter agido sob as 'ordens de Deus.'
Podemos afirmar que nunca rezamos para manipular nem controlar os outros e que jamais causaríamos deliberadamente nenhum dano físico em nome de Deus. Mas todos nós já nos vimos em situações em que acreditamos que estamos certos e 'eles' errados. Na nossa cultura, com 80 a 90 por cento das pessoas rezando regularmente, o palco está sempre preparado para preces tão diretas quanto bofetadas, em que pedimos ao Todo Poderoso que derrote, de uma maneira ou de outra, os que não compartilham de nossos pontos de vista.

...................................................................................



Num jantar na Casa Branca, um pastor encerrou a sua bênção com esta afirmação piedosa: "O Senhor está do nosso lado."
Como o Presidente Lincoln não reagisse a essas palavras, alguém lhe perguntou: "O senhor não acredita, Presidente, que o Senhor estará sempre do lado do que é correto?"
"Não estou preocupado com isso," foi a resposta de Lincoln, "Porque sabemos que o Senhor está sempre do lado do que é correto. Minha preocupação é saber se eu e a nação estamos do lado do Senhor."



sábado, 23 de fevereiro de 2013

Uma Gota de Goethe





Limites da Humanidade - Goethe


O que é que distingue
Os deuses dos homens?
Que muitas vagas
Ante aqueles vagueiam.
Eterna torrente.
A nós ergue-nos a vaga,
Traga-nos a vaga
E vamos para o fundo
Um estreito anel nos limita a vida
E muitas gerações
Se alinham constantes
à cadeia infinda
Do seu existir.




Goethe (28-08-1749 / 22-03-1872) foi um escritor alemão e pensador que também fez incursões pelo campo da ciência. Foi um dos líderes do movimento literário romântico alemão.  Escreveu romances, peças de teatro, poemas, autobiografias e reflexões teóricas nas áreas de arte, literatura e ciências naturais.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Cora Coralina





"Venho do século passado
E trago comigo todas as idades
(...)
Nunca os algarismos me
Entraram no conhecimento.
De certo pela pobreza que marcaria
para sempre a minha vida.
Precisei de poucos números.

Sendo eu mais doméstica do
que intelectual,
Não escrevo jamais de forma
Consciente e racionada, e sim
impelida por um impulso incontrolável.
(...)
Nasci para escrever, mas, o meio
O tempo, as criaturas, e fatores outros,
contramarcaram minha vida.
(...)
A escola da vida me suplementou
As deficiências da escola primária
Que outras o Destino não me deu,

Foi assim que cheguei a este livro
Sem referências a mencionar.

Nenhum prêmio,
Nenhum segundo lugar,
Nem menção honrosa
Nenhuma Láurea.

Apenas a autenticidade da minha
poesia arrancada aos pedaços
do fundo da minha sensibilidade

Cora Coralina - "Parte Biográfica."










Frases de Cora Coralina





"Recria tua vida sempre, sempre. Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça."




"O saber a gente aprende com os mestres e os livros. A sabedoria, se aprende é com a vida e com os humildes."




"Nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas."




"Nas palmas das tuas mãos, leio as linhas da minha vida."



"Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."



"Não morre aquele que deixou na terra a melodia de seus cânticos na música de seus versos."



Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas - Cora Coralina - nasceu em 20/08/1889, em Goiás, e morreu em 10/05/1985.  Teve o primeiro livro publicado em 1965, quando já tinha quase 76 anos de idade.



quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Dançar Para Viver - Isadora Duncan




"Desde o início nada mais fiz do que dançar a vida. Criança, dançava a alegria espontânea dos seres em crescimento. Adolescente, dançava com uma alegria que se transformava em apreensão, diante das correntes obscuras e trágicas, que começavam a  lobrigar no meu caminho. Apreensão da brutalidade implacável da vida e da sua marcha esmagadora.
(...) Durante minha viagem à Rússia, tive uma sensação de desprendimento da alma, que se há de sentir depois da morte, quando a morte transcende outras paragens." Isadora Duncan, em "Minha Vida."






Isadora Duncan - 27/05/1877 - 14/09/1927) foi uma bailarina dos Estados Unidos. Considerada a pioneira da dança moderna, causou polêmica ao ignorar todas as regras do balé clássico. Sua dança era inspirada nas figuras de dançarinas em vasos gregos, encontrados, segundo algumas fontes, no Museu do Louvre. Sua proposta de dança era algo totalmente fora do usual, com movimentos improvisados, inspirados também  nos movimentos da natureza. Suas vestimentas, leves túnicas, como as das bailarinas encontradas nas figuras dos  vasos gregos.





Isadora tinha personalidade forte e não se curvava às tradições. casou-se três vezes, e só o fez porque tinha a possibilidade de separar-se, caso necessário. Em 1913, seus dois filhos e a babá morrem afogados em um acidente no rio Sena.



Isadora Duncan veio ao Brasil em 1916 e apresentou-se no teatro Municipal, no Rio de Janeiro. 

Isadora morreu em um acidente de carro conversível, quando sua echarpe ficou presa a uma das rodas, estrangulando-a. Uma amiga afirmou durante anos que, ao entrar no automóvel, conduzido por um jovem, suas últimas palavras foram: 'Adeus, amigos! Vou para a Glória!" Tendo anos depois retificado a frase como "Adeus, amigos, vou para o amor." 




Fonte: Wikipedia.
Fotos: Google

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Energia Psíquica - Parte II



Trechos do Livro Energia Psíquica, de Torkom Saraydarian


Na presença de uma pessoa que esteja carregada com energia psíquica, vários fenômenos acontecem; por exemplo:

- as pessoas esquecem as coisas;
-não conseguem conversar normalmente;
-tremem;
-desmaiam;
-sentem-se afogueadas ou geladas;
-sentem certas partes do corpo movimentarem-se automaticamente;
-respiram diferentemente;
-tem pulsações rápidas ou lentas;
-ficam com a vista embaçada;
-sentem medo.

Por outro lado, algumas pessoas experimentarão um crescente bem estar. Por exemplo, sentir-se-hão:

-mais livres;
-iluminadas;
-integradas;
-despertas;
-felizes;
-alegres;
-revigoradas.



Tal diferença de reação ou resposta é o resultado do quanto cada um possui de energia psíquica.
Se houver mais resposta, haverá mais alegria, compreensão, liberdade e mais energia psíquica.
A energia psíquica de uma pessoa às vezes provoca memórias negativas em pessoas que lhe sejam antagônicas; essas pessoas se sentirão pouco à vontade diante de quem esteja carregado com a energia psíquica. Frequentemente, evitam a presença da pessoa ou arquitetam vários atos de traição contra ela, pensando que isso ajudará a curar sua irritação ou desconforto.
A energia psíquica de uma pessoa Às vezes ataca o subconsciente de uma pessoa negativa e drena todo o pus, de tal forma que a pessoa se dá conta da sua verdadeira natureza.
.................................................................




Algumas emanações enfraquecerão sua energia psíquica; outras lhe darão alegria e até trarão certas iluminações em sua mente. Algumas delas libertarão certos fatos e reminiscências esquecidos. Algumas delas o farão ponderar; outras o farão agir prontamente. Algumas delas o deprimirão; outras, o incentivarão.
Observar tais experiências fará você cooperar com a energia psíquica e o avisará para ser cauteloso a respeito dos elementos psíquicos dos objetos que você próprio energiza.


terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A Inspiração Espiritual na Criação Artística




Trechos de "A Inspiração Espiritual na Criação Artística,"  livro de Cristina da Costa Pereira




Conceito de Inspiração no Processo da Criação Artística

Elton Medeiros - A inspiração vem, para o artista, através de uma influência mágica, muito especial, digamos uma influência espiritual. Nem todos os artistas creem nisto. Certa vez, num debate com músicos, compositores e letristas, se colocou esta questão e muitos deles descreem da realidade espiritual, o que não é o meu caso, que sou consciente desse processo.




Maurício Bentes - A inspiração é uma centelha, algo que surge. Todo mundo tem, mas a maioria não percebe. O artista, pela prática de seu trabalho, percebe quando a inspiração lhe chega.
A inspiração leva a uma harmonia com o cosmo. Ela não vem determinante, mas indicativa, sugerindo. O artista, então, exerce esse Deus que está dentro dele.
Comigo já aconteceu de eu estar fazendo uma escultura a partir de uma ideia, uma imagem que me vem à cabeça, e vou tentando chegar a ela, e vou jogando materiais fora, e nada de a escultura se realizar. Quando olho, a escultura está no chão e não na bancada do ateliê.
Nesse momento, é que questiono a academia. O aprendizado da técnica a priori pode atrapalhar a carreira de um artista. Na minha visão do processo de criação, quanto mais não-consciente, mais próximo você está da sua verdade artística. Esse processo de criação vem de um autoconhecimento, do conhecimento da 'sua' linguagem. Depois, é que o artista deve buscar a técnica. É um processo analítico. Você não aprende arte com professores, mas com mestres.
Aprendi isto com verdadeiros mestres e este processo analítico, de ajudar o discípulo a descobrir sua linguagem, a trabalhar sua linguagem, é o que faço no Museu do Ingá. Quando dou aula, sou muito inspirado, e às vezes, nem sei porque estou dizendo aquilo tudo, mas os alunos sabem por que estão ali ouvindo.




Fábio Augusto Cambório - A inspiração me vem mais forte no ato de escrever, que é o que me equilibra interiormente. Vem para mim com muito trabalho, não vem pronta. Vem-me uma ideia, confusa em princípio, e através do trabalho de escrever, reescrever e reescrever, é que as coisas vão se clareando. É algo doloroso, sofrido, energético. Mas quando o filho nasce, é uma alegria.




Itajara Dias - A inspiração é algo tão inerente a meu ser, que flui como uma cachoeira, basta haver uma forma de manifestação material: instrumento, voz.
Às vezes, até conversando a composição sai pronta, inteira. É como se minha alma saísse pelas mãos, nas conversas do dia a dia.
A minha arte não é criada a partir de exercícios. No meu caso, a inspiração não precisa de uma preparação. Mas, também, se eu estiver concentrado, ela chega.
Desde criança, estive sempre muito sintonizado com a faixa vibratória da música.






Perguntais por que moro na verde montanha,
Intimamente, sorrio, mas não posso responder.
As flores de pessegueiro são levadas pela água do rio...
Há outro céu e outra terra, para além do mundo dos homens. - Li Po ("Diálogo da Montanha" - in Poemas Chineses)



um Poema de Amor

AMO-TE Amo-te quanto em largo, alto e profundo Minh'alma alcança quando, transportada, sente, alongando os olhos ...