sábado, 29 de agosto de 2015

THE LOGICAL SONG - LETRA E TRADUÇÃO





The Logical Song
(A Canção Lógica)

By
Supertramp
  

When I was young
(Quando eu era jovem)
It seemed that life was so wonderful
(parecia que a vida era tão maravilhosa)
A miracle, oh it was beautiful, magical
(Um milagre, oh, ela era linda, mágica)
And all the birds in the trees
(E todos os pássaros nas árvores)
Well they'd be singing so happily
(Bem, eles cantavam tão felizes)
Oh, joyfully, playfully, watching me
(Oh, alegres, brincando, me observando)
But then they sent me away
(Mas então mandaram-me embora)
To teach me how to be sensible
(Para ensinar-me a ser sensato)
Logical, oh responsible, practical
(Lógico, responsável, prático)
And they showed me a world
(E então mostraram-me um mundo)
Where I could be so dependable
(Onde eu poderia ser tão confiável)
Oh, clinical, intellectual, cynical
(Oh, clínico, intelectual, cínico)

There are times when all the world's asleep
(Há horas em que todo o mundo está dormindo)
The questions run too deep
(As questões correm tão profundamente)
For such a simple man
(Para um homem tão simples)
Won't you, please, please, tell me what we've learned
(Por favor, você não me dirá o que aprendemos?)
I know it sounds absurd
(Eu sei que soa absurdo)
But please tell me who I am
(Mas por favor, diga-me quem eu sou)

Now watch what you say
(Agora, cuidado com o que diz)
Or they'll be calling you a radical
(Ou o chamarão de radical)
A liberal, oh fanatical, criminal
(Um liberal, fanático, criminoso)
Oh, won't you sign up your name
(Você não assinará seu nome?)
We'd like to feel you're
(Gostaríamos de sentir que você é)
Acceptable, respectable, oh presentable, a vegetable
(Aceitável, respeitável, apresentável, um vegetal)

At night when all the world's asleep
(À noite quando todo o mundo está dormindo)
The questions run so deep
(As questões correm tão profundamente)
For such a simple man
(Para um homem tão simples)
Won't you please, please tell me what we've learned
(Por favor, voc^~e não me dirá o que aprendemos?)
I know it sounds absurd
(Eu sei que soa absurdo)
But please tell me who I am
(Mas por favor, me diga quem eu sou)
Who I am, who I am, who I am
(Quem eu sou, quem eu sou, quem eu sou...)



segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Harper Lee - O sol é Para Todos






Trechos desta magnífica obra de harper Lee, tão atual.


“Quando crescer, todos os dias você verá brancos ludibriando negros, mas deixe-me dizer uma coisa, e nunca se esqueça disso: sempre que um branco trata um negro desta forma, não importa quem seja ele, o seu grau de riqueza ou a linhagem de sua família, esse homem branco é lixo.”



“Deus significa amar aos outros como a gente ama a gente.”




 “Existem pessoas que se preocupam tanto com o Outro Mundo que nunca aprendem a viver neste.”




 “Pela própria natureza da profissão, todo advogado enfrenta pelo menos uma vez na vida um caso que o afeta pessoalmente.”



 “Só porque fomos derrotados uma vez não é motivo para não tentarmos novamente.”




“As pessoas sensatas não se orgulham de seus dotes naturais.”



“Antes de poder viver com os outros, eu tenho de viver comigo mesmo. A consciência de um indivíduo não deve subordinar-se à lei da maioria.”




“Não se sinta ofendida quando alguém lhe disser uma expressão feia. Isso não deve atingi-la, apenas revela a pobreza de quem falou...”




“Eu queria que você visse o que é realmente coragem, em vez de pensar que coragem é um homem com uma arma na mão. Coragem é quando você sabe que está derrotado antes mesmo de começar, mas começa assim mesmo, e vai até o fim, apesar de tudo. Raramente a gente vence, mas isso pode até acontecer.”

“Andar armado é um convite para alguém atirar na gente”.




“Só existe um tipo de gente: gente.”



” -Não devemos soltar as rédeas da nossa imaginação, querida – disse. – Não se esqueça, diga a seu pai para não lhe ensinar mais. Diga-lhe que eu me encarrego disso daqui por diante e tentarei desfazer os danos…
 - O quê, professora?
 - Seu pai não sabe como ensinar. Agora pode se sentar.
 Murmurei umas desculpas e calei-me, meditando sobre o meu crime. Eu nunca aprendera deliberadamente a ler, mas quem sabe se não andei olhando demais as notícias dos jornais? As longas horas passadas na igreja… será que aprendi aí? Eu sabia ler todos os hinos. Agora, sendo obrigada a pensar no assunto, concluía que ler fora algo que me acontecera espontaneamente, como aprender a abotoar os fundilhos do pijama, ou dar laços nos sapatos sem olhar. Não conseguia me lembrar quando as linhas apontadas por Atticus se dividiram em palavras, mas todas as noites de que tinha lembrança eu as acompanhara ouvindo as notícias do dia, os projetos de lei, o diário de Lorenzo Dow – qualquer coisa que Atticus por acaso estivesse lendo quando eu me acomodava em seu colo à noite. Até sentir medo de perdê-la, eu não amara a leitura. Não se ama a respiração!


Harper Lee

Nelle Harper Lee é uma escritora norte-americana, ganhadora do Prêmio Pulitzer em 1961 pela sua obra de ficção To Kill a Mockingbird. Wikipédia
Nascimento: 28 de abril de 1926 (89 anos), Monroeville, Alabama, EUA
Filiação: Frances Cunningham Finch, Amasa Coleman Lee
Irmãos: Alice Lee, Louise Lee Conner, Edwin Lee
Filme: O Sol é Para Todos
Prêmios: Prêmio Pulitzer: Melhor Ficção, Medalha Presidencial da Liberdade (Wikipedia)



terça-feira, 11 de agosto de 2015

Arthur Rimbaud






Canção da Torre Mais Alta 

Mocidade presa 
A tudo oprimida 
Por delicadeza 
Eu perdi a vida. 
Ah! Que o tempo venha 
Em que a alma se empenha. 

Eu me disse: cessa, 
Que ninguém te veja: 
E sem a promessa 
De algum bem que seja. 
A ti só aspiro 
Augusto retiro. 

Tamanha paciência 
Não me hei de esquecer. 
Temor e dolência, 
Aos céus fiz erguer. 
E esta sede estranha 
A ofuscar-me a entranha. 

Qual o Prado imenso 
Condenado a olvido, 
Que cresce florido 
De joio e de incenso 
Ao feroz zunzum das 
Moscas imundas.



"O poeta se faz vidente por um longo, imenso e pensado desregramento de todos os sentidos. todas as formas de amor, de sofrimento, de loucura; ele busca a si mesmo, ele exaure em si mesmo todos os venenos, para então guardar apenas as quintessências. inefável tortura na qual necessita de toda a fé, toda a força sobre-humana, onde ele se torna entre todos o grande doente, o grande criminoso, o grande maldito, – e o supremo sábio! – pois ele chega ao desconhecido! uma vez que ele cultivou sua alma, já rico, mais que todos! ele chega ao desconhecido, e quando, enlouquecido, ele acabaria por perder a inteligência de suas visões, ele as viu! que ele estoure em seu sobressalto pelas coisas inaudíveis e inomináveis: virão outros horríveis trabalhadores; eles começarão pelos horizontes onde o outro se abateu!"



Jean-Nicolas Arthur Rimbaud foi um poeta francês. Produziu suas obras mais famosas quando ainda era adolescente sendo descrito por Paul James, à época, como "um jovem Shakespeare". Wikipédia
Nascimento: 20 de outubro de 1854, Charleville-Mézières, França
Falecimento: 10 de novembro de 1891, Marselha, França
Obras: Une saison en enfer, Uma temporada no inferno, mais
Álbuns: Poètes & chansons: Arthur Rimbaud




segunda-feira, 3 de agosto de 2015

SOBRE A POESIA




Sobre a poesia, algumas visões poéticas:


"Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti..."

Mario Quintana





Poeminha Amoroso

"Este é um poema de amor 
tão meigo, tão terno, tão teu... 
É uma oferenda aos teus momentos 
de luta e de brisa e de céu... 
E eu, 
quero te servir a poesia 
numa concha azul do mar 
ou numa cesta de flores do campo. 
Talvez tu possas entender o meu amor. 
Mas se isso não acontecer, 
não importa. 
Já está declarado e estampado 
nas linhas e entrelinhas 
deste pequeno poema, 
o verso; 
o tão famoso e inesperado verso que 
te deixará pasmo, surpreso, perplexo... 
eu te amo, perdoa-me, eu te amo..."

Cora Coralina





"Árvores são poemas que a terra escreve para o céu. Nós as derrubamos e as
transformamos em papel para registrar todo nosso vazio."

Khalil Gibran



"O que eu odeio é que algum dia tudo se reduzirá a nada, os amores, os poemas. Acabaremos recheados de terra como um taco barato. Que coisa mais triste, tudo é tão triste - a gente passa a vida inteira feito bobo pra depois morrer que nem besta."

Charles Bukowski



um Poema de Amor

AMO-TE Amo-te quanto em largo, alto e profundo Minh'alma alcança quando, transportada, sente, alongando os olhos ...