quarta-feira, 30 de setembro de 2015

MATURIDADE








"Quando a velhice chegar, aceita-a, ama-a . Ela é abundante em prazeres se souberes amá-la. Os anos que vão gradualmente declinando estão entre os mais doces da vida de um homem, Mesmo quando tenhas alcançado o limite extremo dos aos, estes ainda reservam prazeres."
Sêneca





"A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura."
Lya Luft




A Maturidade

"A maturidade nos faz perceber que não podemos mudar os fatos.
A maturidade faz parte de um processo. Em um processo não podemos queimar etapas. Ele é lento, chato e demorado. Uma criança passa por um momento de amadurecimento a partir do momento que começa a brincar. A maturidade acontece, quando tomamos posse do que nós somos, para aí então poder nos dividir com os outros. Isso faz parte do processo de maturidade. 
Não nascemos amando, pelo contrário, queremos ter a posse dos outros. Essa é a forma de amar da criança, pois ela não consegue pensar de maneira diferente. Ela não consegue entender que o outro não é ela. Quantas pessoas já adultas pensam assim, trata-se da incapacidade de amar, falta de maturidade. 
Todos os encontros de Jesus levam a implantação do Reino de Deus. Mas só pode implantar esse reino quem é adulto, que já entende que só se começa a amar a partir do momento, que eu não quero mudar quem eu amo. 
Geralmente quando tememos alguém ruim ao nosso lado, é porque nos reconhecemos naquela pessoa. Jesus não tinha o que temer porque era puramente bom, por isso contagiava os que estavam ao seu lado. Na maturidade de Jesus você encontra a capacidade imensa de amar o outro como ele é. Amar significa: amar o outro como ele é. Por isso quando falamos em amar os outros, podemos perceber o quanto deixamos de ser crianças. Devemos nos questionar a todo o momento quanto a nossa maturidade. A santidade começa na autenticidade. 
Por isso Jesus nos pede para ser como as crianças, que são verdadeiras e simples. É nisso que devemos manter da nossa infância e não a forma de possuir as coisas para si. 
Você tem condições para perceber a sua maturidade. É só observar se você é obediente mesmo quando não há pessoas ao seu redor. Você não precisa que ninguém te observe, pois você já viu aquilo como um valor. Pessoas imaturas sofrem dobrado. Pessoas imaturas querem modificar os fatos, pessoas maduras deixam que os fatos os modifiquem. A maturidade nos faz perceber que não podemos mudar os fatos. Um imaturo ganha um limão e o chupa fazendo careta. O maduro faz uma limonada com o limão que ganhou. Muitas vezes os nossos relacionamentos de amizade são uns fracassos porque somos imaturos. Amigos não são o que imaginamos, mas o que eles são e com todos os defeitos. 
Amizade é processo de maturidade que nos leva ao verdadeiro encontro com as pessoas que estão ao nosso lado. Elas têm todos os defeitos, mas fazem parte da nossa vida e não a trocamos por nada deste mundo. Isso porque temos alma de cristão e aquele que tem alma de cristão não tem medo dos defeitos dos outros, porque sabe que aqueles defeitos não serão espelhos para nós, mas seremos um instrumento de Deus para ele superar esse defeito.Padre só pode ser padre a partir do momento que é apaixonado pelos calvários da humanidade. Se você não consegue lidar com os limites dos outros, é porque você não consegue lidar com os seus limites. 
A rejeição é um processo de ver-se. Toda vez que eu quero buscar no outro o que me falta, eu o torno um objeto. Eu posso até admirar no outro o que eu não tenho em mim, mas eu não tenho o direito de fazer do outro uma representação daquilo que me falta. Isso não é amor, isso é coisa de criança. O anonimato é um perigo para nós. É sempre bom que estejamos com pessoas que saibam quem somos nós e que decisões nós tomamos na vida. É sempre bom estarmos em um lugar que nos proteja. Amar alguém é viver o exercício constante, de não querer fazer do outro o que a gente gostaria que ele fosse. A experiência de amar e ser amado é acima de tudo a experiência do respeito. 
Como está a nossa capacidade de amar? Uma coisa é amar por necessidade e outra é amar por valor. Amar por necessidade é querer sempre que o outro seja o que você quer. Amar por valor é amar o outro como ele é, quando ele não tem mais nada a oferecer, quando ele é um inútil e por isso você o ama tanto. Na hora que forem embora as suas utilidade, você vai saber o quanto é amado. Tudo vai ser perdido, só espero que você não se perca. Enquanto você não se perder de si mesmo você será amado, pois o que você é significa muito mais do que você faz.O convite da vida cristã é esse: que você possa ser mais do que você faz! ”
Padre Fábio de Melo



sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Brian May





"Love Of My Life"
Amor da Minha Vida

Love of my life, you've hurt me,
Amor da minha vida, você me feriu
You've broken my heart and now you leave me.
Você quebrou meu coração e agora me deixa
Love of my life can't you see,
Amor da minha vida, você não pode ver?
Bring it back, bring it back,
Traga-o de volta, traga-o de volta
Don't take it away from me because you don't know what it means to me.
Não o leve para longe de mim porque você não sabe o que ele significa

Love of my life, don't leave me,
Amor da minha vida, não me deixe
You've stolen my love, you now desert me,
Você roubou meu amor, e agora me abandona
Love of my life, can't you see?
Amor da minha vida, você não pode ver?
Bring it back, bring it back,
Traga-o de volta, traga-o de volta
Don't take it away from me because you don't know what it means to me.
Não o leve para longe de mim, porque você não sabe o que ele significa

You will remember
Você se lembrará
When this is blown over
Quando isto estiver acabado
And everything's all by the way
E tudo estiver totalmente a propósito
When I grow older
Quando eu envelhecer
I will be there at your side to remind you how I still love you, I still love you.
Eu estarei lá ao seu lado para lembrá-la do quanto a amo

  Hurry back, hurry back,
Volte depressa, volte depressa
Please, bring it back home to me because you don't know what it means to me.
Por favor, traga-o de volta para mim pois você não sabe o que isto significa

Love of my life
Amor da minha vida
Love of my life...
Amor da minha vida...





Brian Harold May, CBE (Londres, Inglaterra, 19 de julho de 1947) é um músico inglês e também astrofísico, mais conhecido por ser o guitarrista, compositor, fundador e ocasionalmente vocalista, da banda britânica de rock Queen. Também construiu uma guitarra conhecida como Red Special. Algumas de suas composições para o grupo são "We Will Rock You", "Tie Your Mother Down", "The Show Must Go On", "I Want It All" e "Who Wants to Live Forever".

Em dezembro de 2005, Brian foi homenageado com um CBE Commander, da Ordem do Império Britânico, por Sua Majestade a Rainha, em reconhecimento dos seus serviços para a música e obras de caridade.Após isso, concluiu seu doutorado em astrofísica no Imperial College em 2007 e e foi chanceler da Liverpool John Moores University entre os anos de 2008 e 2013. É também defensor ativo dos direitos dos animais..


Em 2005, uma enquete da revista Planet Rock elegeu Brian como o sétimo melhor guitarrista de todos os tempos. Também foi considerado o 26º melhor guitarrista de todos os tempos, segundo a revista norte-americana Rolling Stone, enquanto a Guitar World, através de seus leitores o pôs no segundo lugar em 2012.


Com uma carreira musical que abrange quatro décadas, Brian May um dos fundadores do Queen é um compositor e guitarrista de renome mundial, com a produção e créditos em gravações, que venderam mais de 100 milhões de cópias em todo o mundo.

Brian já escreveu 22 sucessos em todo o mundo para os Queen, entre eles os hinos "We Will Rock You", "The Show Must Go On" e "I Want It All", e baladas poderosas, incluindo "Who Wants To Live Forever", "No-One But You (Only The Good Die Young), e "Save Me". Como um artista solo respeitado e de sucesso, Brian possui dois discos solo: Back To The Light (1992), com "Too Much Love Will Kill You" e "Driven By You", ambos vencedores do Prêmio Ivor Novello, e Another World, de 1998.


Suas canções continuam a influenciar novas gerações de artistas e tem inspirado gravações de artistas tão diversos como Elton John, Def Leppard, The Royal Philharmonic Orchestra, Shirley Bassey e Eminem. Brian tem desfrutado de colaborações com vários artistas, incluindo Robbie Williams, Foo Fighters, Cliff Richards, Guns N' Roses, Diana Ross e Luciano Pavarotti. Ele também tocou guitarra na música de abertura Jogos Olímpicos de Inverno de 2002, também "The Fire Within", para o seu amigo e compositor, o falecido Michael Kamen.

Talvez a exibição mais memorável ​​do estilo e musicalidade únicos de Brian, foi o seu desempenho de seu próprio arranjo do hino britânico "God Save the Queen", ao vivo a partir do telhado do Palácio de Buckingham, em Londres, em 2002, para abrir as celebrações do Jubileu de Ouro da Rainha, à frente de um público de mais de 200 milhões de pessoas em todo o mundo.


Um interesse em marcar filme desenvolvido quando o Queen se tornou o primeiro grupo de rock a marcar um grande filme, Flash Gordon , com o hit "Flash!" escrita por Brian, seguido de música definitiva para Highlander . Brian mais tarde contribuiu com uma mini-ópera de 1996 Steve Barão Pinóquio, e compôs uma trilha sonora do filme completo para o filme de arte francês 1999, Furia.

May não é estranho ao mundo teatral, muitas vezes contribuindo para a performance ao vivo de sua esposa, Anita Dobson, mas em 1990, entrou neste mundo ele próprio, escrevendo e interpretando a música para o Riverside Studios de Londres a produção de Macbeth . Ele voltou com força total para o Teatro em 2002, como uma das principais forças criativas por trás do inovador 'Rock Teatral ", We Will Rock You , que se tornou um sucesso fenomenal, ainda um dos mais vendidos de Londres mesmo depois de seis anos de ovações no Teatro Dominion, em Londres, e o show mais antigo a atuar no teatro. Apesar de We Will Rock You ser hoje uma empresa global, Brian permanece envolvido pessoalmente no desenvolvimento de novas produções e atualizar aqueles que joga atualmente.


Sobre a morte de Freddie, os membros remanescentes dos Queen criaram uma instituição de caridade para apoiar os doentes da AIDS, o "Mercury Phoenix Trust". O MPT tem canalizados mais de oito milhões de libras para mais de 1.000 projetos de AIDS em todo o mundo. Um compromisso permanente de conscientização sobre a SIDA levou os Queen para se tornar uma força matriz na campanha 46664 para a Fundação Nelson Mandela. O primeiro de uma série de concertos 46664, realizada na Cidade do Cabo, em novembro de 2003, foi transmitido em todo o mundo via Internet, TV e rádio, tornando-se o mais amplamente distribuído evento de mídia na história, com um público de mais de 2 bilhões em 166 países. Brian continua em seu papel como um embaixador e participante da série de concertos 46,664 internacional destinada a promover a conscientização da Aids em todo o mundo.


As suas realizações foram reconhecidas com numerosos prêmios, inclusive sendo homenageado com uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood, em outubro de 2002, sendo introduzido tanto do Rock EUA e Roll Hall of Fame (março 2001) e da Câmara Songwriters of Fame (Junho 2003), e estar entre os homenageados pela primeira vez no Music UK Hall of Fame (novembro 2004), que foi um evento que era para mudar o curso dos Queen - sendo o primeiro evento em que o cantor Paul Rodgers juntou-se à Brian e Roger Taylor, como vocalista. Após uma turnê mundial bem sucedida entre 2005 e 2006, Paul, Brian e Roger recentemente voltaram ao estúdio para criar novo material para uma estréia ansiosamente aguardada: o álbum de estúdio do Queen+Paul Rodgers.

Em Julho de 2005, o Guinness World Records anunciou que os Queen tinham ultrapassado o grupo britânico The Beatles, ao tornar-se o mais bem sucedido grupo em vendas de álbuns, na história das paradas de sucesso no Reino Unido.


Os créditos de Brian são muito numerosas para listar, mas incluem a concepção de um planetário, actualmente em execução na Alemanha e na Bélgica. Apareceu na gravação de uma faixa para um épico anúncio de TV, em 2003, para a Pepsi, com Brian produzindo performances vocais de Beyoncé, Britney Spears e Pink, re-mistura gravações clássicas do Queen em 5.1 Surround Sound, escrevendo temas para vários programas de TV, produzindo um número 1 hit, "The Stonk", para o dia Comic Relief do Nariz Vermelho, bem como empréstimos suas habilidades de inspiração para os três primeiros volumes de venda de O Melhor Álbum de Air Guitar no Mundo ... nunca!


Brian mantém um grande interesse em astronomia. Ele é um contribuinte regular para o programa "The Sky at Night", de seu amigo de longa data, Sir Patrick Moore, com quem é co-autor, juntamente com o Dr. Chris Lintott, do livro ilustrado de astrofísica chamado 'BANG! A História Completa do Universo. Publicado pela primeira vez em 2006, desde então foi publicado em 20 línguas, além de ter uma segunda edição atualizada. Brian está trabalhando actualmente em um livro sobre TR Williams, fotógrafo estéreo seminal de 1850, cujo trabalho Brian vem pesquisando há 25 anos.

Em dezembro de 2005, Brian foi homenageado com um CBE Commander, da Ordem do Império Britânico, por Sua Majestade a Rainha, em reconhecimento dos seus serviços para a música.

No ano de 2006 lançou, em co-autoria, um livro sobre como o universo foi desenvolvendo-se após o Big Bang.

Em 2007, após uma pausa de 30 anos buscando sua carreira musical, Brian voltou ao Imperial College, de Londres, para se inscrever para completar a sua tese de doutorado em Astrofísica, e em um ano, submeteu com sucesso a nova versão da sua tese sobre poeira interplanetária. Embora já titular orgulhoso de diplomas honorários das Universidades de Hertfordshire, Exeter e John Moore, de Liverpool, Brian, em 2007, finalmente conseguiu a obtenção de um diploma de doutorado pleno e DIC - Diploma of Imperial College. Brian posteriormente aceitou um cargo de Pesquisador Visitante do Imperial College e irá ali continuar o seu trabalho em Astronomia.



Brian gosta de interagir com seus amigos e fãs, que pode contatá-lo e desfrutar de atualizações em seu trabalho e pensamentos através de seu próprio canal na internet (Soapbox Brian), em seu site (www.BrianMay.com).

Fonte: WIKIPEDIA
imagens: Google







terça-feira, 22 de setembro de 2015

AGRESSIVIDADE






“Há numerosos indivíduos civilizados que recuariam aterrados perante a ideia do assassínio ou do incesto, mas que não desdenham satisfazer a sua cupidez, a sua agressividade, as suas cobiças sexuais, que não hesitam em prejudicar os seus semelhantes por meio da mentira, do engano, da calúnia, contanto que o possam fazer com impunidade.” 
―Sigmund Freud




"Na falta de argumento a ignorância usufrui da agressividade e da ofensa como modo de ataque."
agni shakti





Você só percebe o quão primitivo um homem pode ser,
somente quando lhe faltam argumentos.
Pois na falta de argumentos, 
o homem sempre tenta conquistar a razão na base da força.
Salcidc





Mentira pra mim ou é falta de argumento ou é falta de caráter.
Sarah Camargo



sexta-feira, 11 de setembro de 2015

BARBRA STREISAND





Barbara Joan Streisand nasceu em 24 de abril de 1942, no Brooklyn, em Nova York, em uma família de judeus, filha de Emmanuel e Diana Streisand. Ela é a segunda de dois filhos por parte do pai Emmanuel, que era um professor de uma escola respeitada. Quinze meses após o nascimento de Streisand, Emmanuel morreu de uma hemorragia cerebral e a família entrou em quase pobreza[7] .


A carreira de Barbra Streisand começou quando ela se tornou uma cantora de boate, durante sua adolescência. Ela queria ser atriz e apareceu em várias produções teatrais, incluindo Driftwood em 1959, com a então desconhecida Joan Rivers. Driftwood durou apenas seis semanas[8] . Quando o namorado dela, Barry Dennen , ajudou a criar um clube de música chamado O Leão ela começou seu sucesso como cantora. Enquanto cantava em O Leão por várias semanas, ela mudou seu nome de Barbara para Barbra.



A primeira aparição de Streisand na televisão foi em The Tonight Show, apresentado por Jack Paar. Ela então começou a fazer sucesso na televisão e assim ganhou seu primeiro papel na Broadway, em uma pequena participação. Ela então decidiu lançar seu primeiro álbum, The Barbra Streisand Album, que ganhou dois Grammy Awards em 1963. Após seu sucesso com The Barbra Streisand Album, Streisand fez várias aparições em The Tonight Show em 1962 e 1963.



Streisand voltou à Broadway em 1964 com uma atuação aclamada como Fanny Brice em Funny Girl. Por causa do sucesso da peça, ela apareceu na capa da Time, e em 1968 ela apareceu na adaptação cinematográfica de Funny Girl que lhe deu o Oscar de melhor atriz. - FONTE: WIKIPEDIA


terça-feira, 8 de setembro de 2015

HAIKU









Do livro "A Vida é o que é", de Gyomay Kubose. 


Mostrando as costas 
mostrando a frente
as folhas do bordo caem.

Ryokan, monge e poeta japonês.








O homem tem um lado da frente e um lado de trás. É claro, todos queremos mostrar uma bela frente e manter tudo mais lá atrás. Tentamos mostrar uma bela frente; esta é a razão pela qual temos problemas. Na verdade, não há frente ou costas na verdadeira vida. Deveríamos viver como as folhas do bordo, mostrando tanto a frente quanto as costas. Frente é frente, e a parte de trás é a parte de trás, mas não há superioridade em qualquer lado. Ambos são verdadeiros. (...) Tão logo pensamos: "Este lado é melhor para ser mostrado ao público. Aquele deveria ser escondido", então temos problemas. Uma vida budista é uma vida de tal honestidade. Não há frente nem costas. Uma vida verdadeira é totalidade. 



RUMI - Em Minha Alma, eu Sei

poema traduzido do inglês: Em minha alma, Eu acho que sei... Devo pensar assim? Ou devo pensar: Pelo menos, estou n...