terça-feira, 25 de abril de 2017

Sobre o que é Chato
















Sobre o que é Chato



Chato é um substantivo que tem origem ainda na antiga língua grega, “platys”, cujo significado é largo e achatado, referindo-se a uma superfície plana, passando para o latim “plattus”, com o mesmo sentido.

O termo chato também deu origem a muitas outras palavras utilizadas no nosso vocabulário, como omoplata (ossos dos ombros), plateia (o público ou o local de apresentação de um espetáculo), platô (um planalto em grandes altitudes) e até mesmo prata (em espanhol “plata”, chamada assim por ser um material muito maleável), além de muitas outras.





Na língua portuguesa atual, o termo chato acaba tendo diversos significados. Tanto pode se referir a qualquer superfície plana, como a um tipo de piolho, ou mesmo podendo designar um indivíduo irritante, ou ainda denominar uma situação maçante, incômoda ou inoportuna.

Podemos dizer que é chata a pessoa que age de maneira inconveniente, maçante, que aborrece até mesmo ao abrir a boca, mostra-se inoportuno e grosseiro. Quando uma pessoa assim extrapola os limites, até usamos a expressão “chato de galochas”, ou seja, o chato persistente, que não conhece os limites do bom senso.




Também é denominado “chato” o piolho da púbis, um inseto parasita que se alimenta de sangue e se prolifera nos pelos de seus hospedeiros, podendo atacar humanos e animais e que provoca muitas coceiras, causando enorme desconforto. Esse inseto, que provavelmente se nutriam do sangue dos gorilas, é o que provoca a pediculose pubiana e é resultado principalmente da falta de higiene.




O termo também é usado para designar uma deformidade humana, o conhecido “pé chato”, situação em que não existe o arco na sola dos pés, provocando problemas no caminhar. Essa deformidade acontece pela falta de desenvolvimento dos arcos e pode ser uma consequência genética ou provocada pela frouxidão dos ligamentos. Os portadores de pés chatos, em virtude disso, são frequentemente dispensados do serviço militar.



Nenhum comentário:

SARTRE

Alguns pensamentos de Jean-Paul Sartre. "Falamos na nossa própria língua e escrevemos numa língua estrangeir...